Biografia de José Camarate Andrade França (1923-1963)

por Carlos Teixeira
Texto extraído das Comunicações do Instituto Geológico e Mineiro (1965)


Ver tombar, na voragem da morte, inesperadamente, uma pessoa ainda jovem, dotada de óptimas qualidades de trabalho, cheia de entusiasmo pela ciência a que se dedicava, exuberante de projectos para o futuro, quando, removidas as dificuldades que tivera - e muitas foram -, entrara decididamente no caminho da realização dos estudos predilectos, é, sem dúvida, doloroso para os que o conheceram e com ele conviveram, em particular os que acompanharam a sua actividade desde os bancos da escola e, de qualquer modo, influíram na orientação da sua carreira científica.

É, por isso, com dor e saudade que evoco, aqui, a memória de José Camarate França, discípulo querido e amigo sincero, geólogo e investigador de incontestáveis méritos, há pouco desaparecido.

Nascido em Lisboa, em 27 de Março de 1923, faleceu na mesma cidade em 3 de Outubro de 1963. Tinha, portanto, 40 anos de idade.

Depois dos estudos liceais, frequentou a Escola Superior Colonial, tendo terminado com honrosa classificação o respectivo curso, em 1944. Frequentou, seguidamente, o 1º ano do Curso de Altos Estudos Coloniais, que concluiu, também com bom êxito, em 1947.

Colocado no Ministério das Colónias, como funcionário administrativo, era três anos depois transferido para Angola, onde o respectivo Governo Geral, reconhecendo-lhe decidida vocação científica, o dispensou do serviço burocrático para permitir-lhe entregar-se a estudos de Pré-história; nesta província se manteve de 1950 a 1953, dedicando-se com transbordante alegria e grande afan, sobretudo, à investigação no campo da Arqueologia.

Participou, então, nas campanhas de 1950 e 1952 da Missão Antropobiológica de Angola, chefiada pelo Prof. Dr. António de Almeida, colaborando com este também nos anos de 1951 e 1953 e, posteriormente, até à morte.

Em 1954 foi transferido para o Ministério do Ultramar. Como bolseiro do Governo de Angola e do Centro de Estudos de Etnologia do Ultramar, dirigido pelo citado professor, matriculou-se na Faculdade de Ciências de Lisboa, na licenciatura em Ciências Geológicas, que terminou em 1960, com altas classificações - não obstante as suas funções burocráticas obrigatórias e o fecundo labor arqueológico desenvolvido naquele Centro.

Ingressou, seguidamente, como geólogo contratado, na Direcção-Geral de Minas e Serviços Geológicos, onde exerceu a sua principal actividade profissional e científica.

Tendo-se dedicado, inicialmente, à Pré-história, orientou-se, após a entrada para os Serviços Geológicos de Portugal, sobretudo para a investigação geológica e paleontológica, em especial do sistema jurássico.

Desde há tempos que trabalhava, com ardor e entusiasmo, na dissertação de doutoramento, tendo procedido, por um lado, a meticulosos e extensos reconhecimentos de campo nos maciços jurássicos portugueses e, por outro lado, ao estudo e à revisão da fauna fóssil desses terrenos, em particular dos amonóides.

Participou nas investigações estratigráficas realizadas no Jurássico do nosso país por R. Mouterde e seus colaboradores. Em ligação com estes trabalhos realizou, em França, em 1961, um estágio de especialização. Tomou parte, em 1962, no Colóquio sobre aquele sistema, realizado no Luxemburgo.

Colaborou, activamente, na elaboração de algumas cartas geológicas de Portugal, na escala de 1/50 000, tais como as de Vieira de Leiria, Marinha Grande, Leiria, Alcobaça, Peniche, Lourinhã, Alenquer, Bombarral, Setúbal e Carrapateira.

Foi bolseiro do Instituto de Alta Cultura e tomou parte em numerosas reuniões científicas.

Embora nos últimos anos a sua actividade principal se tenha desenvolvido no âmbito da Geologia, não deixou de ocupar-se de trabalhos de Arqueologia, participando em escavações, assistindo ao Congresso Internacional de Pré-história e Proto-história (Madrid, 1954), ocupando-se do estudo de materiais pré-históricos da metrópole e do ultramar - estes na sua maioria existentes no Centro de Estudos de Etnologia do Ultramar (agora Centro de Estudos de Antropobiologia) - que ele ajudara a colher em Angola e sobre os quais publicou várias obras de valor. Com o Prof. António de Almeida trabalhou devotadamente, desde 1960, na elaboração do Atlas de Pré-histórico da África portuguesa.

A última reunião científica em que tomou parte foi o Congresso Pan-Africano de Pré-história e de Estudo do Quaternário, realizado nas Canárias, em Setembro de 1963. Aí apresentou, com brilho, os resultados de estudos referentes à Pré-história do sul de Angola, e interveio nas discussões suscitadas no decorrer das sessões.

Recordo confrangedoramente as manifestações de entusiasmo e satisfação, a alegria comunicativa de Camarate França, durante aqueles dias passados no ambiente maravilhoso das Canárias, em que, com frequência, afloravam nas suas conversas os projectos futuros e os trabalhos que pensava realizar.

Alguns dias após o regresso a Portugal tudo ruía. Bruscamente, Camarate França abandonou a Geologia e a Arqueologia, que com tanto amor servira, deixou os amigos a quem era dedicado, apartou-se da família, por quem tanto se sacrificara.

A actividade científica de J. Camarate França pode avaliar-se, em parte, pelos trabalhos que publicou, alguns aparecidos depois do seu falecimento.

Todavia, os estudos mais importantes que realizou foram, sem dúvida, os referentes às formações jurássicas portuguesas que, infelizmente, não chegou a preparar para publicação.

Em face das suas manifestações de entusiasmo pelos problemas a cujo estudo se consagrara, das hipóteses formuladas com calor e defendidas com vigorosa argumentação, pode dizer-se que havia nas atitudes científicas de J. Camarate França certa dose de fantasia e idealismo.

Apesar disso, foi um investigador invulgar, como geólogo de quem muito havia a esperar, em particular no estudo e caracterização do jurássico português.

Ao evocar a memória de J. Camarate França e historiar o seu labor, presto homenagem a um discípulo querido, às suas qualidades e ao seu exemplo de dedicação à Ciência.

 

 

Página Inicial  Pesquisa | Contactos | Bases de Dados Online | SIG Online | INETI © 2006  e-Geo - Sistema Nacional de Informação Geocientífica / INETI