Catálogo de Recursos Geotérmicos em Portugal Continental

Catálogo de Recursos Geotérmicos  |  Outras Ocorrências  |  Ver no Mapa  |  Imprimir  |  Fechar Janela

Amieira

Situação Administrativa: Recurso hidromineral não concessionado.
Localização
    Lugar: Banhos da Amieira
    Freguesia: Samuel
    Concelho: Soure
    Distrito: Coimbra
    Carta Militar: Folha nº 249, escala 1:25 000 Ver Carta
Coordenadas Militares (sistema Hayford-Gauss referidas ao ponto central)
    M: -52 360 m
    P: 47 570 m
    Cota: 10 m
Captações: Nascente
Temperatura Máxima Registada: 27º C

 AMBIENTE GEOLÓGICO E CONTROLO GEOLÓGICO-ESTRUTURAL

As Termas da Amieira situam-se na base da serra de Verride, junto ao seu encontro com a vasta e baixa planura denominada Campo do Carregal, que acompanha o curso do rio Pranto, afluente da margem esquerda do rio Mondego.

O terreno onde estas se localizam, pertencente ao Mesocretácico (Cenomaniano e Turoniano), é constituído por assentadas de calcário mais ou menos argiloso de cor clara, calcário compacto e calcário cavernoso, separadas por pequenas bancadas de argila ferruginosa.

As nascentes, em número de três, emergem da camada de calcário cavernoso do Cretácico superior, que se estende numa direcção sensivelmente N20ºW; estas brotam no fundo de uma escavação feita na rocha calcária, com cerca de 3 m de profundidade, representando um descarregador do maciço calcário que constitui o anticlinal de Verride, em cujas fendas e cavidades se acumulam importantes reservas aquíferas. A saída da água é determinada pelo contacto entre o maciço referido e o enchimento aluvionário do vale do rio Pranto.

A sua temperatura é muito constante à volta dos 27º C, o que parece justificar a sua origem profunda.

Estas águas, cloretadas bicarbonatadas cálcicas, são especialmente usadas no tratamento de moléstias da pele, reumatismos, etc.


30_amieira_Leg.png (40939 bytes)
Excerto da Carta Geológica nº 19-C na escala 1:50 000

 ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA (Agosto 1951)

CONSTANTES FÍSICO-QUÍMICAS E SUBSTÂNCIAS NÃO DISSOCIADAS
pH 7.39 Dureza total (p.p. 105 CaCO3)       26.60
Condutividade (µS/cm) 1 450.00 Sulfuração total (ml de I2 0.01 N) -
Alcalinidade (ml/l de HCl 0,1 M) - Sílica (mg/l de SiO2) -
Resíduo seco a 180º (mg/l) 800.00 Dióxido de carbono livre (mg/l de CO2) -
ANIÕES (mg/l)
Fluoreto 0.10
Cloreto 317.50
Bicarbonato 235.50
Sulfato 44.50
Nitrato 1.50
Borato 0.51
 
SOMA 599.61
CATIÕES (mg/l)
Lítio 0.70
Sódio 181.00
Potássio 18.20
Magnésio 29.60
Cálcio 57.90
Ferro 0.09
Amónio Vestígios
SOMA 287.49
RESUMO DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA (mg/l)
Aniões 599.61
Catiões 287.49
SOMA 887.10
QUIMISMO
Água hipotermal, cloretada bicarbonatada sódica, de reacção praticamente neutra.

Pela natureza e abundância dos gases é azotada.

 BIBLIOGRAFIA

SOUZA, LUIS S.O. (1933) - Estudo hidrogeológico e projecto de captação das Termas da Amieira. 10p.

ROCHA, R., MANUPPELA, G., MOUTERDE, R., ROUGET, C., ZBYSZEWSKI, G. (1981) - Notícia explicativa da folha 19-C : FIGUEIRA DA FOZ. Serviços Geológicos de Portugal. 

CARVALHO, A. H. (1951) - Relatório da análise da Água da Amieira.

 

 

Página Inicial  Contactos | Bases de Dados Online | SIG Online | INETI | Recursos e Riscos Geológicos © 2006  e-Geo - Sistema Nacional de Informação Geocientífica / INETI